Falar de Viagens

O que ver em Cracóvia

Este é um artigo que já deveria ter feito há bastante tempo. Cracóvia é a minha cidade favorita “do mundo mundial” e uma das que melhor conheço (ou conhecia, que as coisas mudam rapidamente), à parte de Madrid.

Quando alguém me pede indicações sobre viagens a fazer ou um destino para onde ir que seja BBB (bom, bonito e barato), Cracóvia é sempre o primeiro destino que me vem à cabeça!

A Cidade de Cracóvia

A cidade de Cracóvia está situada no sul da Polónia, nas margens do rio Vístula e tem quase 900 mil habitantes.

Foi fundada no ano 700 d.C. por um sapateiro chamado Krak, que se tornou o primeiro rei da Polónia, cuja capital foi Cracóvia entre 1320 e 1596.

Por esse motivo vemos que, mesmo hoje em dia sendo “apenas” a segunda maior cidade do país, é uma cidade muito rica, com castelo, catedral e tudo o que uma capital deve ter. Hoje em dia Cracóvia é considerada a capital cultural da Polónia, e não é para menos!

Em 1978 a UNESCO reconheceu o seu Centro Histórico como Património Mundial da Humanidade.

Tem aeroporto a poucos quilómetros do centro da cidade e hoje em dia já há voos baratos para Cracóvia desde Portugal e Espanha (quando eu lá estudava não havia!).

O que ver em Cracóvia

Aqui está uma lista dos locais e monumentos a não perder na cidade de Cracóvia! Num próximo artigo farei um roteiro de 3 dias e vou incluí-los todos da melhor forma 😉

Rynek Glowny

A praça central de Cracóvia e uma das maiores e mais antigas praças medievais da Europa! É aqui que tudo se passa: o mercado de Natal, os concertos, as manifestações, a Juwenalia, etc etc etc. Todas as ruas vão dar ao Rynek Glowny e passear por aqui era das coisas que mais gostava de fazer.

Rynek underground

(autor: polandmfa / Flickr CC)

Um museu subterrâneo situado por baixo do Rynek Glowny. Conta a história da cidade e fala particularmente dos restos arqueológico medievais relacionados com o Sukiennice encontrados há relativamente pouco tempo. Só entram 300 pessoas de cada vez e os bilhetes devem ser comprados antes, aqui.

Sukiennice

Também conhecido por “Cloth Hall” é um dos símbolos mais reconhecidos da cidade. Fica no centro da praça principal (Rynek Glowny). Foi construído no século XIV e chegou a ser um importante centro de comércio internacional. Hoje em dia a parte de baixo alberga lojinhas de souvenires e produtos típicos e na parte de cima tem um museu.

Bazylika Mariacka

A Basílica de Santa Maria é uma igreja de estilo gótico reconstruída no século XIV e famosa principalmente pelo seu trombeteiro, o Hejnał mariacki, que se pode ouvir a todas as horas certas desde a torre mais alta da basílica.

Janela Papal

Antes de ser Papa, Karol Wojtyla foi Bispo de Cracóvia e viveu durante muitos anos no Palácio do Arcebispo. Dizem que, enquanto Bispo e já como Papa, João Paulo II costumava aparecer nesta janela ao final da tarde para benzer as multidões que se juntavam no jardim em frente. O Papa Francisco continuou com esta tradição durante as Jornadas Mundiais da Juventude de 2016 em Cracóvia.

Brama Florianska (Porta de S. Floriano)

Construída no século XIV, era uma das portas de entrada para a cidade e, ao mesmo tempo, uma torre de defesa contra ataques, construída de propósito para parar um possível segundo ataque dos turcos no ano de 1307. A ‘estrada Real’ de Cracóvia começa na Brama Florianska e vai até ao Castelo de Wawel

Barbacan

Os barbacãs eram construídos em frente às muralhas e serviam para as proteger dos impactos da artilharia. Este barbacã, em concreto, é uma das poucas relíquias relacionadas com a fortificação de Cracóvia que sobreviveu ao passar do tempo. Hoje em dia alberga exposições temporárias.

Collegius Maius

(fonte: Wikimedia Commons)

Data do século XIV e é o edifício mais antigo da Universidade Jaguelónica de Cracóvia, fundada em 1364 por Casimiro III, o Grande e conhecida primeiro como Akademia Krakowska. 

Aqui estudaram grandes nomes das ciências, nomeadamente o astrónomo Nicolau Copérnico.

Planty

 

O jardim que rodeia toda a muralha da zona antiga de Cracóvia. É engraçado e dá para um passeio, mas não precisam perder um dia inteiro a andar às voltas por aqui. Muito provavelmente vão acabar por percorrer alguns bocados sim ou sim.

Igrejas

Catedral de Cracóvia

Cracóvia é uma cidade muito religiosa, uma dos feriados religiosos mais importantes é o Corpo de Cristo, e portanto vais encontrar muitas igrejas por todos os lados. Algumas das mais bonitas: A Basílica de Maria, a Catedral de Cracóvia, a Igreja de São Pedro e São Paulo.

Kazimierz

 

O antigo bairro judeu. Ao contrário do que muita gente pensa, aqui era onde os judeus viviam antes da Segunda Guerra Mundial e da construção do gueto de Cracóvia. É aqui que estão localizadas as sinagogas da cidade, o cemitério judeu e alguns dos melhores restaurantes e bares.

Sinagoga Velha

Sinagoga ortodoxa judia, a mais antiga da Polónia, construída em 1407 (ou 1492, não se sabe ao certo). Antes da invasão pela Alemanha em 1939, era uma das sinagogas mais importantes da cidade. Hoje em dia não está ativa e foi transformada em museu.

Antigo Cemitério Judeu

(fonte: Wikimedia Commons)

Também conhecido como Cemitério de Remuh, foi construído em 1535 e utilizado até 1800. Nesse ano foi encerrado e um novo cemitério judeu foi construído no número 55 da rua Miodowa.

Sinagogas

(fonte: Wikimedia Commons)

Para além da Sinagoga velha, existem outras 6 que podem ser visitadas: Sinagoga Alta, Sinagoga de Wolf Popper, ambas inativas e as sinagogas ativas de Remah (onde se encontra o cemitério antigo), Kupa, Izaak Jakubowicz e Tempel.

Castelo de Wawel

Outro dos meus locais favoritos da cidade. Não é um simples castelo, mas sim um complexo que inclui jardins, palácio, a Catedral de Cracóvia e vários outros edifícios importantes. Não esquecer o Sino de Sigismund, que abençoa quem o tocar com um novo amor e o Chakra de Wawel, um dos 7 chakras da Terra, localizado num dos cantos do pátio interior.

Gruta Smok

A gruta onde se escondia o famoso dragão de Cracóvia que aterrorizou a cidade durante anos e foi morto pelo sapateiro Krak, o 1º rei da cidade. Hoje em dia podemos visitá-la mas apensa durante alguns dias do ano e em horários um pouco restritos.

Rio Vistula

O rio que atravessa Cracóvia e metade da Polónia… É ótimo para uns passeios relaxados, principalmente durante a primavera. Contam as lendas que o rio está tão poluído que no verão pega fogo. Mas são apenas lendas 😉

Apteka pod Orlem (Farmácia da Águia)

(fonte: Wikimedia Commons)

Situada na praça central de Podgórze, o distrito de Cracóvia onde foi construído o gueto. Esta farmácia era gerida por um cidadão polaco, Tadeusz Pankiewicz, que decidiu continuar a trabalhar aqui mesmo depois dos muros do gueto se terem fechado à sua volta. Através dos esgotos conseguiu ajudar muitas crianças a fugir, incluindo Roman Polanski e a “rapariga do casaco vermelho” que aparece no filme “Lista de Schindler”. Hoje em dia faz parte do Museum de Cracóvia e pode ser visitada.

Plac Bohaterów Getta (Praça Heróis do Gueto)

Era a praça central do gueto e onde os judeus eram reunidos para serem levados para os campos de concentração. As 33 cadeiras de aço e bronze representam as pessoas que aqui viveram e morreram durante a ocupação nazi e os pertences que foram deixados para trás nas deportações.

Restos do muro do gueto  Lwowska 25-27 y en Limanowskiego 62.

A poucos minutos a pé da praça Bohaterów Getta encontramos dois trechos do muro que cercava o gueto de Cracóvia. Os da rua Limanowskiego 62 estão num parque infantil, enquanto que os da rua Lwowska 25-27 são mais fáceis de encontrar. Por trás deste pedaço é possível ver casas daquela época que ainda são habitadas.

Fábrica de Schindler

Todos, ou quase todos, vimos o filme “A Lista de Schindler” e por isso sabemos da existência desta fábrica. Mas… Sabiam que nunca existiu nenhuma lista como é apresentado no filme? Hoje em dia a fábrica é um museu dedicado ao holocausto que merece uma visita pausada e atenta.

Como chegar ao centro de Cracóvia desde o aeroporto?

O aeroporto de Cracóvia está localizado a cerca de 17 quilómetros do centro da cidade.

Para ir até ao centro da cidade ou voltar ao aeroporto no final das férias podemos utilizar o comboio ou autocarro.

Comboio

Para mim é a melhor opção. Muito mais rápido e confortável que o autocarro.

O comboio funciona das 04h00 às 23h30 com uma frequência de +/- 30 minutos. Sai da plataforma 3 do aeroporto (peron 3).

O bilhete normal custa 9 zloty e o de ida e volta custa 16 zl. Podem ser comprados no terminal do aeroporto ou nas máquinas situadas nas estações e dentro do comboio. Aceitam moedas, notas e cartões.

A estação central de Cracóvia chama-se Kraków Glowny e é a 5ª paragem do trajeto e demora apenas 17/20 minutos desde o aeroporto até ao centro da cidade.

Autocarro

Durante o dia existem 2 serviço de autocarros que ligam o aeroporto com a cidade.

A linha 252 desce a cada 30 minutos para Cracóvia, entre as 05h18 e as 23h08.

A linha 208 conecta o aeroporto com Cracóvia numa rota diferente entre as 04h35 e as 21h20.

Durante a noite existe uma linha especial, a linha 902, que funciona a cada hora entre as 23h20 e as 04h50.

Atenção: como o aeroporto está nos arredores de Cracóvia é necessário comprar um “bilet aglomeracyny” e não o “bilet jednoprzejazdowy” que apenas funciona para trajetos dentro da cidade.

O trajeto demora entre 30 e 45 minutos, dependendo do trânsito.

Links para ajudar na tua viagem a Cracóvia

Vais viajar para Cracóvia?
aviao-30

Encontra na eDreams voos para Cracóvia ao melhor preço.

hotel-30

Hotéis baratos em Cracóvia no Booking

Ao utilizares os links de afiliados estás a ajudar-me a pagar os custos do blog. A Booking e a eDreams dão-me uma pequena comissão por cada venda e tu não pagas mais por isso! 🙂




Artigos Relacionados

5 comentários sobre “O que ver em Cracóvia

  1. Diego Cabraitz Arena

    Quanto lugar lindo para conhecer. Gostaria de ir ao Rynek underground e a Sinagoga Velha. Na próxima eurotrip tenho que colocar no roteiro.

  2. Analuiza

    oi Susana… por este texto ficou muito fácil entender porque esta é uma de suas cidades favoritas; Ela é maravilhosa, bonita e cheia de histórias interessantes! Bem quero visitar algum dia, pois é o tipo de cidade que adoro conhecer de perto! 🙂 bj

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *