Falar de Viagens

Guia de viagens da Bulgária

Um dos países que mais me surpreendeu até agora e que adorei visitar pese à falta de expectativas iniciais foi a Bulgária.

Durante as próximas semanas vou mostrar o que ver na Bulgária, especialmente o que ver em Sófia, que pratos tradicionais da cozinha búlgara deves experimentar, como viajar pelo país de forma confortável, rápida e barata, para além de dicas de outras cidades como Plovdiv (a cidade mais antiga da Europa), o Mosteiro de Rila e a Igreja de Boyana, a cidade de Veliko Tarnovo, o Mosteiro de Bachkovo e varias outras cidades pequenas que podes adicionar ao teu itinerário!

Andei o ano de 2016 inteiro a guardar ferias para uma viagem que não chegou a materializar-se e cheguei a Novembro com mais de 10 dias por gozar. O Alex não podia tirar ferias e eu estava a precisar urgentemente de desconectar, portanto fui sozinha! Uma semana inteira sozinha num pais que não conhecia, com um língua que não falava e com toda a gente a dizer-me coisas como “Sozinha para a Bulgária? Tem cuidado com as máfias! Eles lá são perigosos!” E bla bla bla. Preconceitos infinitamente longe da realidade.

Catedral Alexandre Nevski à noite

Nunca me senti insegura, nem mesmo quando andei “perdida” e ler o cirílico foi tarefa quase impossível (benditas 3 aulas de russo que me “deixaram” conseguir ler alguma coisa… Compreender o que li é que foi mais difícil!)

Milo o Louco, em Plovdiv

Quais foram as minhas conclusões no final da viagem?

– Uma semana é pouco para visitar um país tão espetacular e com tanta coisa para ver

– Apesar das estradas de má qualidade, se puderem aluguem carro!

– O autocarro é o melhor meio de transporte: rápido e confortável. Esqueçam o comboio, demora 2 ou 3 vezes mais para fazer o mesmo percurso

– Os búlgaros na sua grande maioria não falam inglêsGood luck with that!

Mosteiro de Rila

. As pessoas mais simpáticas que encontrei foram: raparigas ate aos 30 anos; senhores entre 40 e 60 e senhoras a partir dos 70 anos

Informações sobre a Bulgária

– Moeda: lev

– Animal favorito: leão

É o símbolo do pais e tudo o que é “Typical Bulgarian” leva o leão: há leões nas fachadas dos edifícios, as moedas tem leões, leva significa leão, as cervejas tem leões, as marcas em geral tem leões, os souvenirs têm leões…

– Produto típico: rosas.

Descobri quando lá cheguei que o produto típico do país, e o que ele mais exporta, é o óleo de rosas. Serve para os mais variados fins, sobretudo cosmética, e um litro pode custar mais de 5000 euros!

Alfabeto: cirílico

Língua: búlgaro

População: 6 milhões

Capital: Sófia

Religião: maioritariamente ortodoxa

Hora: GMT +2

Cidades mais importantes: Sófia, Plovdiv, Varna

Autores búlgaros: Kapka Kassabov (entre outros)

Há uns anos atras juntei-me a um projeto de uma blogger brasileira chamado “volta ao mundo em 198 livros”, que consiste em ler um livro de um autor de cada país e assim ir descobrindo pérolas literárias (e países) que de outra forma talvez não pudesse conhecer.

Antes de viajar para a Bulgária decidi ler o livro “Streets without a name” da escritora búlgara Kapka Kassabova, que fala de como foi a sua infância na Bulgária comunista dos anos 80. Depois de ter emigrado e vivido em vários países, decide voltar à Bulgária dos dias de hoje e conta como a vê.

Foi uma leitura bastante interessante que me levou, por exemplo, a conhecer Veliko Tarnovo e a procurar os lugares que li no livro enquanto me deslocava pelo país!

Comida búlgara

Peper buriek, pimentos fritos recheados com ovo e queijo branco

Antes de ir não fiz grandes pesquisas sobre a comida, mas sabia que assim que chegasse uma das primeiras coisas que tentaria conhecer eram restaurantes tradicionais para provar a comida típica local

Como fui no final do outono, a comida era mais pesada, com muita carne e estofados.

Adorei e fiquei fã!

Curiosidades sobre a Bulgária

– A Bulgária nunca foi incorporada na União Soviética. Era “apenas” um pais satélite

O alfabeto cirílico, que toda a gente acha que é russo, foi na realidade inventado na Bulgária por dois irmãos, Cirilo e Metodio . Eram monges e tinham como missão evangelizar os povos “bárbaros” desta parte da Europa. Então misturaram o alfabeto latino com o alfabeto utilizado aqui e criaram o cirílico.

– O país é maioritariamente ortodoxo, mas há gente e templos de todas as religiões.

– Em Sófia há um local chamado “Quadrado da Tolerância” onde encontramos uma igreja ortodoxa, uma sinagoga, uma mesquita e uma igreja cristã, todas a poucos metros de distancia umas das outras!

Baklava e chá turco

– O país faz fronteira com a Turquia e tem muita influencia deste país. Encontramos cafés e salões de chá turcos por todos os lados e o baklava, típica sobremesa turca, tornou-se também sobremesa típica búlgara.

– É o único país da União Europeia que não mudou o nome desde a sua fundação. Desde o ano 681 que a Bulgária se chama Bulgária.

– A salada shopska, a mais tradicional do país, tem as cores da bandeira nacional: branco (queijo búlgaro), verde (pepino) e vermelho (tomate).

– Os búlgaros abanam a cabeça ao contrário do resto do mundo: para dizer que sim abandam para cima e para baixo, e para dizer que não da esquerda para a direita.

Vais viajar para a Bulgária?
aviao-30

Encontra na eDreams voos para Sófia ao melhor preço.

hotel-30

Hotéis baratos na Bulgária no Booking

Ao utilizares os links de afiliados estás a ajudar-me a pagar os custos do blog. A Booking e a eDreams dão-me uma pequena comissão por cada venda e tu não pagas mais por isso! 🙂




Comentários

comentários