Falar de Viagens

Dicas úteis para viajar com crianças [Guestpost]

Viajar com crianças pode ser mais fácil do que se imagina e existem vários truques para facilitar a viagem, mas antes de tudo sempre gosto de dar três conselhos básicos:

  • Se organize: com criança se perde mais tempo e um mínimo de organização evita alguns estresses e ajuda que a viagem seja mais fácil.
  • Deixe as neuroses em casa: mesmo os pais super cuidadosos terão que ser mais flexíveis durante uma viagem, por isso relaxe!
  • Vá com disposição! Viajar cansa. Filhos cansam. Juntar as duas coisas não é fácil, mas é uma delícia!

Dito isso, aqui vão alguns truques que têm me ajudado muito nas minhas andanças com meus dois pequenos.

Paula e Pedrinho em Cuba

Paula e Pedrinho em Cuba

 

Melhores companhias aéreas para viajar

Em geral compro a passagem pelo preço contando com a necessidade de despachar mala, já que as tralhas das crianças não cabem numa mala de mão e se o voo for longo a reserva de assento é imprescindível. Se você for viajar com um bebê pequeno tente reservar o bercinho na primeira fila; se for viajar com criança de colo reserve a primeira fila para ter mais espaço. E pague pelo assento sem pensar porque vale a pena!

Até hoje a melhor empresa que viajamos com criança foi a Japan Airlines (sim, fomos com um bebê para o Japão!). Eles são super atenciosos e a viagem foi muito tranquila.

Com relação às tarifas, até 2 anos o bebê só paga as taxas de embarque. A partir dessa idade paga 50% da tarifa + taxas. Em algumas companhias grandes, para voos longos, bebês e crianças têm direito a despachar bagagem, por isso cheque antes de comprar porque faz diferença no preço final. Agora, em qualquer companhia, mesmo low cost, bebês e crianças podem despachar o carrinho sem custo e têm direito a bagagem de mão.

 

O que levar na bagagem de mão

Pedrinho em Óbidos

Pedrinho “sapeca” em Óbidos

É difícil mas eu tento viajar o mais light possível, por isso na mala de mão eu levo o mínimo. Uma muda completa de roupa, fralda para cada 2,5 horas, lencinhos, uma manta (no avião faz frio), casaco, paracetamol (para qualquer emergência), soro, mamadeira ou copo de água (vazio) e comida/leite.

Com relação à alimentação varia de acordo com a idade:

  • Bebês que mamam no peito: é o caso mais fácil porque só a mamadeira de água já vale.
  • Bebês que tomam mamadeira: eu levo a quantidade de mamadeiras que vou precisar sem ter que lavar, contando com as horas de aeroporto. Para voos longos levo 5 mamadeiras vazias e os dosificadores de leite cheios (em geral 6 doses).
  • Bebês que já comem papinha: além de algumas mamadeiras levo uns potinhos de purê de verdura ou papinha de fruta. Sempre levo um extra de cada contando com os atrasos e tempos de espera.
  • Bebês que comem comida: Se a criança come mal (meu caso), levo um potinho por segurança (que ele rejeita) e alguma mamadeira e fruta.

As maiores dúvidas são com relação ao embarque com comida e líquidos. Não se preocupe, a comida do bebê sempre pode embarcar. Não precisa ser um potinho de farmácia, pode até ser um purê preparado em casa.

Até água pode passar, mas a dica que eu dou para acelerar o embarque é levar as mamadeiras vazias e deixar para comprar água depois do raio x.

 

Como distrair as crianças durante o voo

Pedrinho na Sicília

Pedrinho na Sicília

Eu costumo levar também na bagagem de mão algum brinquedinho ou um presente, já que as crianças se cansam de tudo muito rápido (pelo menos os meus). E sempre, sempre, SEMPRE levo o iPad com a bateria a 100% e uns dois desenhos que não precisem de conexão por internet. Meus filhos nasceram em 2013 e 2015 e tecnologia faz parte da vida deles… e tanto em voos como em restaurantes agradecemos a Steve Jobs essa super invenção.

 

Como fazer para que durmam nas viagens longas

Bom, para isso não tenho muito truque. Eu espero que eles estejam cansados. Mas não se preocupe que eles irão dormir.

Se o bebê couber no bercinho então, é mole. Provavelmente ele irá dormir boa parte do voo. O mais chato é o período que o bebê não cabe no berço, mas também não tem assento próprio (até 2 anos). Demora um pouco até encontrar a posição mas ele acaba dormindo. Os pais é que não dormem nesse caso, por isso vá com disposição.

 

Truques para não passarem o voo chorando por causa da pressão nos ouvidos, fome, sono, etc

Paula e Pedrinho no Japão

Paula e Pedrinho no Japão

Essa preocupação com o ouvido do bebê é super comum e todos os pais que viajam pela primeira vez têm (eu também tinha), mas relaxe. Hoje em dia quase não se nota as diferenças de pressão nos aviões e os bebês menos ainda. Mas se mesmo assim tiver medo leve um remédio de ouvido recomendado pelo pediatra (eu levo em geral paracetamol).

Com relação ao resto, se sou sincera nunca tive problema, meus filhos nunca choraram em voos. Quando eram muito pequenos passavam o voo todo dormindo. Hoje, que o maior tem 2 anos e meio o maior desafio é distraí-lo até que ele durma, mas como já disse hoje é levar o que ele gosta de brincar. No caso dele, carros e desenhos no ipad.


O que acharam do artigo?

Este é o primeiro guestpost do blog e a convidada foi a Paula Amaro, amiga pessoal, mãe de dois bebés super foooooofos (Pedrinho e Juju), com dois blogs pessoais BiteMeMad e Viajando com Bebê e tempo para muitas outras coisas!

Eu sou 100% a favor de levar os filhos em todas as viagens (os meus pais sempre fizeram isso comigo) e a Paula é (mais uma) a prova viva de que é possível viajar com duas crianças pequenas e mesmo assim divertir-se e sem grandes complicações! 

Para quem acha que é impossível fazer uma viagem de avião longa, sozinha e com dois filhos, aconselho a que leiam este post da super-Paula!

Artigos Relacionados

Comentários

comentários